FORGOT YOUR DETAILS?

CREATE ACCOUNT

Os Prós e os Contras dos Alongadores do Colo do Pé

Este artigo foi escrito em resposta a um email que recebi dum(a) professor(a) preocupado(a) com um tópico que muitos dos nosso seguidores e pacientes da clínica se questionam constantemente – Alongadores do Colo do Pé!

No início de cada ano muitos alunos estão ansiosos para impressionar os seus professores, quer seja porque tenham mudado de escola de dança, têm espectativa de iniciar as pontas nesse ano, estão a pensar em concorrer para treino a tempo inteiro ou progredir para nível profissional. A maioria dos alunos e os seus professores gostariam de melhorar a linha do colo do pé e questionam-se se utilizar um Alongador do Colo do Pé é uma boa forma de melhorar a amplitude da ponta.

Enquanto o uso dos Alongadores do Colo do Pé pode ser perigoso para alguns bailarinos e pode encorajar o desenvolvimento de Conflito Posterior, em alguns casos estes podem ser utilizados com segurança. Assim, escrevi este artigo sobre os prós e os contras dos Alongadores do Colo do Pé para que possas estar mais informado(a) para decidir se é seguro para ti ou não.

Questão:

“Cara Lisa, AJUDE-ME por favor!

Uma aluna minha, que também dança noutra escola, perguntou a minha opinião sobre um Alongador do Colo do Pé… Aparentemente, a sua professora solicitou a compra dum a todos os seus alunos de ballet. Esta aluna em particular tem estado a utilizá-lo desde há 12 meses e, atualmente, tem problemas na região do tendão de Aquiles e está a ser seguida por um fisioterapeuta com experiência em trabalhar com bailarinos (sendo que o mesmo NÃO sabe que esta aluna está a utilizar um destes aparelhos!)

Antes de dar a minha opinião gostaria de ter o seu parecer por favor!

A minha opinião:

Aparelhos construídos pelo Homem para alongar os pés – ou instrumentos de tortura???????

Por favor pense duas vezes antes de utilizar estes aparelhos pré-fabricados e peça a opinião do seu fisioterapeuta.

Recentemente, tem surgido evidência médica e científica em como o alongamento deste género não irá beneficiar o teu pé, mas pode até sobre-estirar os tendões e ligamentos, etc., tornando o teu pé talvez um pouco mais flexível, mas mais fraco no processo, bem como, levando à lesão ou agravamento de problemas no tendão de Aquiles.

Estes aparelhos surgiram anos antes de qualquer estudo ser elaborado sobre os mesmos. A nova pesquisa é muito contra este tipo de alongamento.

Se estás a tentar alongar a parte anterior do teu pé, um dos melhores exercícios que podes fazer é colocares-te na posição de gatas, assegura que os teus tornozelos estão exatamente paralelos e que os teus dedos não estão a curvar para dentro uns em direção aos outros – e depois senta-te atrás sobre os teus pés. Realiza isto numa superfície macia, como uma carpete ou tapete – o chão de madeira magoa demasiado. Este exercício irá ajudar-te a alongar a parte anterior do pé de forma segura e não precisarás de gastar dinheiro para fazê-lo.

Muito Obrigado!

M.”

Resposta: 

Olá M!

Muito obrigada pelo seu email, e sim – realmente, precisamos de ter cuidado com qualquer aparelho externo utilizado para alongar os pés.

O alongamento suave dos ligamentos, ao longo do tempo, é por vezes necessário para aqueles bailarinos que não foram abençoados com pés naturalmente flexíveis, de modo a conseguir a cobiçada aparência dum pé lindamente arqueado, mas não é, de forma alguma, essencial para ter uma carreira em dança, e nunca deve ser colocado à frente da segurança e bem-estar do pé dum bailarino.

Como regra geral – quando eu avalio os pés dum aluno, a maioria deles tem maior amplitude de movimento do que aquela que consegue utilizar, isto é, os seus pés podem ser pressionados forçadamente mais do que aquilo que eles conseguem esticá-los ou utilizar num rise. Por isso, eu dedico-me sempre a fortalecer em toda a amplitude disponível, antes de me preocupar muito com a sua amplitude. À medida que a força melhora – frequentemente, também melhora a amplitude! Qualquer tentativa para aumentar a amplitude de ponta deve ser feita de forma muito lenta e pensando cuidadosamente sobre a anatomia do tornozelo, de modo a mantê-lo estável e forte. Ligamentos sobre-estirados têm feedback proprioceptivo diminuído, por isso nós não queremos isso!

Por favor repare também que em praticamente todas as imagens que vemos a promover os alongadores do colo do pé, as bailarinas também têm joelhos ligeiramente híper-extensos. Mais provavelmente, estas raparigas já possuíam uma linha adorável, e não precisaram de muita ajuda destes aparelhos para a tornar bonita…

Qualquer tentativa para aumentar a amplitude de movimento quer na posição de ponta ou de flexão deve ser acompanhada de exercícios de fortalecimento específicos, para que o bailarino possa realmente usar a nova amplitude de movimento quando ele/ela dança. Uma amplitude excessiva no tornozelo sem excelente propriocepção e força podem ser a causa de muitas lesões do pé e tornozelo. Não tenho conhecimento de quaisquer estudos específicos que tenham analisado cada um dos diferentes produtos no mercado, mas, definitivamente, tenho as minhas reservas, especialmente sobre toda uma classe utilizando o mesmo dispositivo, conforme descrito abaixo …

  1. A minha resistência relativamente ao uso de um qualquer dispositivo, especialmente com toda uma classe cheia de alunos, é que cada pé é diferente e pode exigir a mobilização de maneiras diferentes.
  2. Se um aluno já tem os pés hiper-móveis – fortes alongamentos na parte da frente do pé podem estirar os ligamentos do pé, tornando-o ainda mais instável e vulnerável a lesões.
  3. O alongamento sustido dos ligamentos pode reduzir a consciência proprioceptiva desses ligamentos – ou seja, a capacidade do aluno em sentir onde o pé está. Esta é, obviamente, muito importante aquando da progressão com o trabalho de pontas.
  4. Se o aluno tem pés rígidos, a hipótese de um dispositivo ser capaz de isolar onde esse pé em particular precisa de mais mobilidade é altamente improvável! Alguns pés precisam de mais amplitude na junção entre os metatarsos e os ossos do tarso, outros entre os ossos do tarso, e alguns entre o tálus e parte inferior da perna.
  5. A maioria da restrição óssea na amplitude do tornozelo que eu vejo na clínica é na verdade um bloqueio na articulação sub-talar, o que não pode ser alongado com qualquer um destes dispositivos – aliás, a maioria deles comprime-o!
  6. Qualquer alongamento da parte da frente do arco deve ser sentido como um alongamento suave distribuído sobre uma vasta área. Este nunca deve ser sentido como dor, ou como um alongamento marcado sobre um ponto.
  7. A maior parte dos dispositivos no mercado focam-se em forçar o pé para uma posição de ponta, e isto pode resultar na compressão das estruturas na parte posterior do tornozelo. Muitos alunos têm problemas com Conflito Posterior de qualquer maneira – por isso, forçar o pé numa posição de ponta extrema pode exacerbar a compressão na parte posterior do tornozelo (um possível fator que contribuiu para que ela tenha problemas de Aquiles... )

No caso da aluna que mencionou, a qual está a ser tratada por problemas de Aquiles, eu, definitivamente, assegurar-me-ia de que se trata realmente duma Tendinopatia de Aquiles, pois muitas vezes dor na parte de trás do tornozelo pode ser mal diagnosticada. Se ela tem vindo a utilizar o alongador do colo do pé por algum tempo – na realidade, até pode ser antes devido a um Os TrigonumTendinoptia do FLH ou Conflito Posterior.

Para obter mais informações sobre esse tipo de problema, confira os seguintes links para artigos e outras informações:

Se quer aprender algumas formas seguras para mobilizar e fortalecer o pé, então o nosso Controlo Avançado dos Pés programa para Bailarinos é perfeito! Este ensina-o basicamente em como se tornar no seu próprio fisioterapeuta para o pé, abordando:

  • A anatomia de todos os músculos importantes nos pés e tornozelos
  • Como cada músculo é projetado para trabalhar, e o que acontece quando algo está errado
  • Formas seguras para massajar cada grupo muscular para aliviar a tensão e evitar lesões
  • Alongamentos seguros para aumentar a flexibilidade e amplitude de movimento
  • Exercícios de fortalecimento específicos de cada músculo de modo a que possa dominar o controlo dos seus pés!

O programa Controlo Avançado dos Pés também inclui cópias de todos os nossos Relatórios de Lesões relacionados com o pé, incluindo:

Espero que isto ajude o professor e aluna em questão!

TPPB_Banner_portugese

TOP